Olá, seja bem-vindo a Portal Atibaia News
POSTADO EM 13/01/2021 - 22h21

Projeto de educadora atibaiense leva bibliotecas a pontos de ônibus da cidade

O Projeto "Livro Coletivo", Iniciativa da educadora Cristiane Garcia, teve início em 2016 e já disponibilizou de forma gratuita o acesso a mais de 45 mil livros.

Armando Teixeira Junior

Quantas pessoas passam diariamente em um ponto de ônibus? Quantas delas ficam ali minutos e até horas esperando? Pensando nisso a educadora e fotógrafa Cristiane Garcia teve a ideia de disponibilizar em pontos de ônibus de Atibaia pequenas bibliotecas, montadas em caixas de madeira.

 

Com títulos diversos a proposta não fica restrita a ideia de uma biblioteca convencional em que as pessoas levam os livros para casa e os devolvem quando terminam a leitura. Sem burocracia o “Livro no Coletivo” tem como principal objetivo disseminar o gosto pela leitura, assim não existe uma regra, ou prazo, que define se o livro deve ser devolvido ou não, o mais importante é que as pessoas beneficiadas pela biblioteca valorizem a iniciativa e ajudem a manter a caixa sempre com novas opções de leitura, através de trocas ou doações de novos títulos.

Em 2016, a ideia inicial de disponibilizar livros de forma gratuita, surgiu na porta da loja de roupas que pertencia a Cristiane e seu esposo Gabriel Beraldo, também educador. O casal decidiu então ampliar o alcance dessa primeira iniciativa levando até os pontos de ônibus as pequenas bibliotecas.

As caixas de madeira foram pintadas e preparadas com carinho por eles, que ainda recolhiam doações para abastecer quinzenalmente cada um dos pontos. No total chegaram a ser 12 bibliotecas do “Livro no Coletivo” em bairros diversos de Atibaia; esse número hoje é menor, pois alguns pontos de ônibus foram substituídos por outros mais modernos, e as caixas que serviam como bibliotecas se perderam no processo.

Mesmo com fluxo menor de entradas e saídas de livros durante a pandemia, o projeto segue funcionando, uma vez que muitos ainda utilizam os pontos de ônibus enquanto aguardam o transporte coletivo ou mesmo quando passam caminhando por elas.

Até o momento todo esse trabalho é realizado de forma voluntária, sem qualquer apoio financeiro do poder público municipal, o que dificulta a manutenção e até mesmo a ampliação do “Livro no Coletivo”, mesmo assim os idealizadores estimam que a população de Atibaia teve acesso a pelo menos 45 mil livros nos últimos 4 anos através do projeto.

A educadora e fotógrafa Cristiane Garcia, falou com o Portal Atibaia News sobre seu amor pela leitura e os desafios de fazer com que ainda mais pessoas se encantem pelo mundo dos livros.

Portal Atibaia News: Como surgiu a ideia de criar pequenas bibliotecas em pontos de ônibus? E por que exatamente lá e não em outros lugares?

A ideia surgiu pois eu sou educadora e vejo um déficit de educação muito grande principalmente na leitura. Os jovens e adultos pouco tem acesso aos livros por falta de interesse, por falta de ir até a uma biblioteca! Com isso pensei que colocar os livros de livre acesso aos pontos de ônibus facilitaria a leitura. Pois enquanto eles esperam o ônibus podem se distrair com a leitura. Temos nas caixas muitos livros atuais! Também na época que iniciei o projeto coloquei algumas caixas na porta de uma loja de roupas de rock em que eu era proprietária com meu marido, e lá as pessoas podiam pegar da mesma forma. Mas os pontos de ônibus foram escolhidos de forma estratégica, para atingir pessoas de uma classe social que precisam mais de incentivo e que utilizam o transporte público.



Portal Atibaia News: O leitor pode levar o livro, devolver, trocar e até ficar com  ele... Essa liberdade de escolha é também um incentivo para que as pessoas valorizem mais o hábito da leitura?

O leitor tem acesso ao livro como desejar! Pode pegar, ler e devolver no mesmo ponto ou outro ponto de ônibus. Pode, se gostar do livro, ficar com ele. Pode trocar por outro. Enfim ele pode decidir! A ideia é fazer o livro circular mesmo. Assim o leitor tendo acesso e entrando neste universo tão prazeroso, será incentivado a ler e acessar um mundo que até então estava sendo de mais difícil acesso.

Portal Atibaia News:  O que é necessário para levar o “Livro no Coletivo” para mais pontos e ampliar ainda mais seu alcance?

A prefeitura se, pelo menos, apoiasse no sentido de fornecer a caixa ou mesmo fazer um armarinho no ponto de ônibus na mesma estrutura que foram feitos os pontos… Ficaria lindo. E quanto ao meu projeto eu continuaria abastecendo, fazendo a propaganda para a arrecadação e incentivo a todos que quiserem colaborar e até abastecer por conta própria as bibliotecas se preferirem.

Então quanto mais pessoas envolvidas mais fácil fica né?
Eu faço este trabalho sozinha. E no final, não consigo atingir tantos lugares quanto  gostaria.



Portal Atibaia News: Como as pessoas podem colaborar com o projeto? Posso doar livros ou ajudar a manter as caixas-bibliotecas sempre com novas opções?

As pessoas chegam até mim por redes sociais, me conhecem pelas propagandas! Podem me trazer os livros e assim abasteço a caixa, podem por conta própria abastecer a caixa com os livros... E os próprios usuários acabam deixando a caixa cheia e bem cuidada. Mas toda semana eu passo abastecendo com acervos doados pela própria população.

Portal Atibaia News: Como educadora, em sua opinião qual a importância da leitura em um momento tão atípico como esse em que vivemos, com a necessidade de isolamento social e poucas opções de lazer e entretenimento?

A leitura é de suma importância! Ela faz com que as pessoas trabalhem o lado de vivenciar as histórias como se estivessem dentro do mesmo contexto. É uma distração muito importante para o cérebro, pois ativa nele a atenção, percepção, imaginação e além disso tudo, faz com que seu vocabulário e escrita fiquem mais ricos!  Com esses novos tempos que estamos vivendo a leitura é um entretenimento excelente, pois além de distrair, os livros podem enriquecer a parte cognitiva, até mesmo afetiva do leitor! Eu sou apaixonada por leitura e pela escrita. Então a minha opinião sempre será que os livros são o melhor incentivo a educação. Eu sempre li muito, tenho muita facilidade em escrever, em falar com propriedade e sempre incentivei demais a leitura em casa, minha filha desde muito pequena visitava comigo livrarias, bibliotecas e hoje cursa faculdade em São Paulo e escreve muitos textos e poemas. Fico orgulhosa pois eu acredito que fiz um trabalho válido dentro da minha casa!

Gostaria de colaborar ou apoiar de alguma forma o “Livro no Coletivo”? Entre em contato:

facebook.com/cristianenucci

instagram.com/cristianebgarcia/

whatsapp: 9.9697-4546

VOLTAR